Indisciplina – Erro no. 2: Bater Boca com o Aluno

Discussão verbal com o Aluno. Existem três grandes gatilhos que prenunciam que um Bater Boca com o Aluno vai começar.Quer você seja um Professor recém formado ou veterano, tenho certeza que já vivenciou, alguma, ou várias situações envolvendo ” bate boca” com aluno. Provavelmente você ficou estressada, perdeu tempo, atrasou o planejamento , desentendeu-se com os Pais do aluno, levou bronca da Coordenação, desgastou-se e…. não chegou a lugar nenhum.

Na verdade, essas situações potencializam a indisciplina já existente na sala de aula, pois drena todas as forças, motivação, interesse e paciência do Professor.

Mas, para compreendermos como lidar com situações de “bate boca” é preciso conhecermos como elas se desenrolam e o que as desencadeia, para que possamos definitivamente combatê-las e extirpa-las.

O que é o “bate-boca” ?:

Coloquialmente denominamos de “bate boca” toda discussão verbal, que ocorre de forma acalorada com a troca de palavras ásperas, e no final das contas não se resolve nada, portanto mostram-se inúteis. Quando discussões deste tipo ocorrem na sala de aula servem para tumultuar e deixar todos de ânimos exaltados.

Tipos de bate boca:

Existem três grandes gatilhos que prenunciam que um “bate boca” vai começar, são eles:

1)Fazer perguntas redundantes:

Átila, porque você está conversando? Já não falei que é para fazer a lição ? “

Parece familiar ? Pois é, eu também já fiz perguntas desse tipo. Quando fazemos perguntas redundantes é como se, implicitamente, disséssemos aos nossos alunos :
“ Átila, farei uma pergunta redundante para que você possa distorcê-la e manipular-me e quem sabe até ficar com o controle da situação, talvez a sala inteira até divirta-se às minhas custas se você complementar com alguma gracinha no final “.

Ao fazer uma pergunta redundante, que tipo de resposta você acha que obterá do aluno ?

“ Sabe “Pro”, converso porque eu não estou a fim de assistir sua aula, então prefiro “papear” com os meus colegas ao invés de prestar atenção no que você fala”.

Com certeza não era a resposta que você esperaria receber ! No entanto é a resposta que você obterá na maioria das vezes.

Usar perguntas redundantes, achando que estará disciplinando efetivamente, é uma ilusão, e o que é pior, você abrirá uma brecha para ser manipulada e tornar-se o alvo das chacotas por parte dos alunos.

2)Argumentar com aluno

Professor: “ Atila, já falei que você não pode sair da sala ”
Átila: “ mas por quê não ? “
Professor: “ Porque você tem de esperar o horário do intervalo”
Átila: “ porque então você deixou o Ivan sair ? “
Professor: “ Porque o caso dele é diferente “
Átila: “ diferente por quê? Eu também preciso ir .

Qualquer situação onde o Professor entra em uma argumentação sem fim, inevitavelmente, acabará em “bate boca”. Não demorará muito para ambos os lados estarem exaltados, com voz alterada e trocando ofensas.

3)Pedir justificativas

Quando o Professor exige que o aluno justifique o injustificável, está pedindo para ouvir o que não quer.

Professor: “ Atila, porque você colou chiclete no cabelo da colega ? “
Átila: “ Porque ela é uma chata”
Professor: “ Ivan, porque você colou na prova ? “
Ivan: “ Não era cola, foi só um lembrete caso eu esquecesse das respostas”
Professor: “ Porque você estava brincando na aula de Matemática ? “
Ivan: “ Eu não estava brincando, estava explicando para meu amigo  um novo passo de dança “.

Situações que provocam o aparecimento do “bate boca”:

Como já foi dito anteriormente, algumas situações de indisciplina são potencializadas pela nossa postura, no entanto outros fatores também contribuem para o aparecimento do “bate boca” dentro da sala de aula entre aluno e Professor, tais como:

  • – aluno chega irritado de casa ou da rua
    – aluno que ouve os Pais depreciarem o trabalho do Professor
    – Professor que já está esgotado de dar várias aulas seguidas
    – quando a turma ignora o Professor
    – quando o trabalho do Professor é depreciado pela Direção/Coordenação
    – quando o Professor demonstra-se inseguro ao entrar na sala de aula
    – quando o Professor é permissivo ou quando é autoritário
    – quando o aluno sabe que os Pais virão à Escola para reclamar do Professor com a Direção

Como agir :

Por muito tempo eu ficava aflita e apreensiva, pois essas situações me angustiavam. Com o passar do tempo e depois de muito tropeçar e cair cheguei a constatação que lidar com tudo isso requeria um conjunto de medidas que não estavam em minhas mãos, e sim nas mãos do Gestor, e até do Poder Público.

Seria ótimo se na minha Escola eu pudesse contar com:
– Um Orientador Educacional
– Um Programa de Saúde/Qualidade de Vida para Professores
– Um salário digno que possibilitasse que eu permanecesse em dedicação exclusiva em apenas uma Escola
– Que a minha Escola tivesse implantado uma Escola de Pais, onde as Famílias aprenderiam mais sobre educar os filhos e seriam cobradas por isso.
– Que os Gestores tivessem mais preparo técnico quanto a gestão administrativa e pedagógica da Escola

Mas, como boa parte destas medidas, infelizmente, ainda é uma utopia, até mesmo para os dias de hoje, resolvi investir em medidas em que EU pudesse controlar e implantar.

Assim, além de evitar tudo o que foi exposto acima, passei a dar ao aluno a DIREÇÃO do que ele deveria fazer.

Ao constatar que o Átila estava conversando, eu não perguntava, não queria mais justificativas, e muito menos entrava em argumentação com o aluno. Simplesmente ele era informado do que deveria fazer.

Professor: “Átila, este não é o momento para conversa. Retome a sua tarefa, pois dentro de X minutos, você e mais 5 colegas realizarão a correção dos exercícios no quadro negro “

A minha dica é, diariamente temos de aprender com nossos erros e procurar tirar proveito deles para criar novas ferramentas, estratégias que nos auxiliem a implementar as mudanças em nossa postura, e principalmente revermos e ampliarmos nosso conhecimento técnico sobre gerenciamento da sala de aula, relacionamento interpessoal, resolução de conflito e novas práticas de ensino.

Se essas dicas foram úteis para você, comente no blog.

Recurso para o Coordenador Pedagógico:

Videos com dicas para elaboração do Planejamento Escolar anual 

botao-anteriorbotao-proximo

Roseli Brito: Pedagoga, Psicopedagoga Clínica e Institucional, Neuroeducadora e Coach.

133 Comentários

  • dora-

    Estou apaixonada pelas dicas. o SOS Professores veio para ajudar muita gente, obrigada.

  • marília sátiro dos santos

    essas estrategias são de grande valia para que os professores saibam como administrar as suas aulas e obterem bons resultados para com os mesmos e os alunos que é a grande questão atualmente; com relação a discutir com alunos em sala de aula esse problema tem que ser unitilizado totalmente.

  • Sebastião Guimarães

    Excelente a orientação. Estou enfrentando, no momento, umas situações para as quais eu precisava muito do que você me disse. Obrigado

  • Andréa Corrêa da Silva

    Oi, gostaria de agradecer a dica e estou muito feliz, pois lendo a matéria eu pude ver que já tomei está posição em relação ao modo de falar/lidar c/ eles.

  • Leandro S. Silva

    Bem, o que foi exposto acima foi bem dito. Mas, como o dia a dia na sala de aula não é uma rotina, pois nenhum dia é igual ao outro, eu creio que não tem uma receita pronta para evitarmos que situações desagradáveis aconteçam vez por outra em sala de aula. Assim, acho que o melhor que podemos fazer é manter a calma (mesmo que também estajamos “naqueles dias”) e tentar pedir ao aluno que está causando problemas pra que ele, talvez, consiga chegar a razão, ou seja, que ele se conscientize de suas atitudes e possa começar uma mudança.
    Eu digo isso porque eu cansei de bater boca com aluno e tentar me impor a ele. Costumo chamar a atenção, chamando ele à sua responsabilidade. Quando não consigo, o que acontece muitas vezes, sou obrigado a encaminhá-lo para a orientação ou coordenação pedagógica, pois também não sou milagreiro e os outros precisam tanto de minha atenção quanto o aluno indisciplinado.
    Abraços a todos!

  • Viviane

    As dicas são boas, mas isso depende dos alunos que elas serão aplicadas porem com as turmas as quais trabalho não funcionam.
    Quando se diz:”este não é o momento para conversa. Retome a sua tarefa, pois dentro de X minutos, você e mais 5 colegas realizarão a correção dos exercícios no quadro negro “

    Eles sem sombra de duvida diriam: Converso quando quero e não sou professor para fazer correçao no quadro.

  • Marinalva Aparecida Consoli

    OLá… Hoje passei por uma situação muito difícil, uma sala de 5ª série, muito complicada, depois de muito tempo pedindo a atenção, um aluno me disse:
    _ Professora por que Vc não abandona a turma, eles estão deixando a srª nervosa, não querem estudar!
    Obrigada elas dicas!
    Nalva.

  • Ivoneide

    Obrigada pela dica. Recentimente passei por um caso assim, tento resolver da melhor forma possível, mais é muito complicado. Fale mais exemplos seus e dicas por favor.

  • Edson Viegas

    Roseli, acho um grande erro do Professor bater boca com o aluno.
    Sua dicas são maravilhosas e vou utilizar-las na orientação dos instrutores do Projeto Circo Cidadania (ARRICIRCO). Obrigado e parabens pelo o seu trabalho de dicas para professores. Que Deus conserve sempre vc assim mente brilhante.

    Edson Viegas.

  • Vera Lúcia

    Acho totalmente anti ético bater boca com o aluno, mesmo sabendo que 90%deles são vítimas do descaso da educação desse país.Isto também porque os pais não foram educados para educar os filhos,etc.Já uso estas dicas desde sempre, inclusive orientei aos meus alunos a prática da auto correção. Eles que são alunos da 5ª série acham que a professora é que deve corrigir o caderno deles; eu percebi que eles corrigem errado ou talvez nem corrijam.Também comento com eles sobre a auto-avaliação,por exemplo,solicito para eles fazerem uma auto- avaliação do seu dia na sala de aula, refletir e até se possível anotar num diário, mas o descaso é quase geral.Obrigada.

  • Franceleno

    Boas dicas de como agir em determinadas situaçãoes

  • Aline Reis

    interessantes essas dicas, foram demais, com certeza usarei em sala de aula…

  • Ana Alice

    Olá! Adorei as dicas. Me senti em alguns momentos dentro dessas situações. Com certeza agora vou procurar não cometer esses mesmos erros.
    Abraços,
    Ana Alice.

  • silvane

    pater boca com aluno nunca é correto ,legal as dicas

  • Nete

    Sempre acreditei na conversa entre professor e aluno e, quando o diálogo não é possível, acredito que dar um tempo para “esfriar a cabeça” é a melhor estratégia. Bater boca com aluno? JAMAIS!!!

  • Fontes

    Muito boa as dicas,é sempre bem vindas.Uma vez um colega me perguntou porque preparava aula todos os dias se os conteúdos eram os mesmos?respondi:os alunos são diferentes.Entre vários problemas que a educação sofre,a culpa é: 1ºProfesssores mal remunerados;2ºgovernos que não incentivam os estudos;3ºPais que não tem consciência da importância dos estudos;4ºProfessores que não se atualizam e ficam repetindo as mesmas coisa…não terminaria de elencar.
    Parabéns aos colegas.

  • Venicio

    Muito bom, de uma importância!!! apassarei para meus amigos e colegas…

  • Mariléia de Fátima

    Parabéns pelo seu trabalho!
    Adorei. Realmente precisamos aprender a evitar bate boca com alunos pois acabamos perdendo nossa autoridade e rebaixando o nosso nível. Abraço.

  • Jocilania

    Adorei as dicas, estou adorando o curso,pois o mesmo esta enriquecendo a minha prática em sala de aula.

  • Herminia

    Por favor Angela Rocha,me informe como funciona o O conceito formativo, gostei muito, Herminia

  • jose antonio pinto

    Estou vivendo uma situação assim, só que não é com uma criança, mas com um adulto que estuda no noturno. Toda nota que ele recebe (e são sempre baixas) ele reclama com ameaças e eu argumento. Eu devo botar como certo o que está errado em questões de assinalar) ele não aceita os erros e parte para ameaças.
    Até a direção está com receio desta pessoa. Nestes casos, o que fazer?

  • fatima lanna

    precisamos de respaldo forte de direção e limite de atitudes por parte dos alunos.

  • fatima lanna

    na verdade muitas maneiras de evitar bate-boca já foram utilizadas, o importante é ter o respaldo da direção e o aluno saber que existe o limite até onde ele pode chegar, do contrário, nada funcionará.

  • MARIA ARLENE

    Adorei! Vivenciamos tudo isso diariamente em nossas salas de aula.

  • Rose

    E se mesmo assim o aluno continuar sem atender e se recusar ir ao quadro negro ? q medidas tomar ?

  • salette

    Temos que ter uma relação amigável com nosso aluno. Ele tem que sentir-se integrado em nossa aula. Por isso, quando um aluno mostrar-se indiferente em sua aula, ou manisfestar-se rebelde, pergunte se a causa é você. Certamente, ele dirá que está com problema e, chegou a hora de dizer que vai conversar com ele. Neste momento, ele se apegará em você e lhe será confiável. Não mais apresentará comportamento inadequado em suas aulas.

  • Juscelia

    outubro 2nd,2011 at 22:48
    muito bom tenho gostado das suas dicas,tanto que aproveito para discutir nos ACs com meus colegas,não sei se eles colocam em pratica mais com certeza é de grande valia.Assim sabemos que fazemos a nossa parte.

  • Ivaneide Guilherme

    Já li todas as aulas deste curso e as tenho utilizado no meu cotidiano, orientando os professores em sua prática pedagógica. È tudo de bom este curso.

  • Delenice

    Todos os dias corro para abrir meu email, torcendo para que tenha chegado alguma novidade.E sempre encontro algo novo.Este ano de 2011 está sendo mais prazeroso e menos cansativo a sala de aula,graças a essas ajudas diárias,que parecem simples,mas têm um potencial enorme!…

  • Delenice

    Nossa!… Como estou aprendendo com suas dicas!…
    São muito valiosas,obrigada,que Deus te abençõe,Um abração,
    Delenice

  • Júnior

    A melhor maneira de lidar com essas situações é ser objetivo e não ceder aos apelos dos alunos de ficar discutindo com eles. Muito boa a matéria!

  • Ana Lúcia

    Parabéns.Adorei essas dicas. Vou colocar em prática, tenho certeza que os resultados serão os melhores.Vou repassar para meus colegas.
    Obrigado

  • Miriam Tereza da Silva

    Gostei muito da dica pois sempre fiz perguntas desse tipo para meus alunos, valeu…obrigada

  • Beth

    Este trabalho de vocês tem sido de enorme ajuda.
    Me sinto insegura, Como faço para mudar isto?
    Agradeço as dicas, percebi muitos professores já
    vivenciaram tais situações. Obrigada.

  • luciana

    adorei as dicas e espero poder continuar recebendo muitas as outras que é de muito valia para nosso dia a dia escolar. obrigada beijos!!!!

  • VLADYA

    PARABÉNS POR ESTE TRABALHO MARAVILHOSO QUE FAZEM, ASSIM PODE TER NA CERTEZA QUE AS DICAS QUE ENVIAM PARA MILHARES DE EDUCADORES, SÃO A SOLUÇÃO DE MUITOS PROBLEMAS VISTO EM SALA DE AULA , SE ASSIM COLOCARMOS EM PRATICA! UM ABRAÇO A TODOS!

  • Silvanira Silva Pascoal

    São dicas maravilhosa que mudará bastante minha postura em sala de aula. Um grande abraço.

  • REGINA

    ADOREI AS DICAS. SITUAÇÕES ASSIM PARECE ACONTECER SÓ COM A GENTE, PORÉM PODEMOS PERCEBER QUE NÃO FOGE A REALIDADE DE OUTROS PROFESSORES.

  • OSNI RODRIGUES ROSA

    GOSTEI…. MAS NÃO É FACIL APLICAR….RSRS

  • Angela Rocha

    Na verdade, já utilizo esta estratégia há algum tempo, sendo que um pouquinho diferente. No Município , trabalho com o chamado Conceito Formativo do Aluno ; tudo é avaliado durante as aulas – disciplina, relacionamento, participação e as tarefas feitas em sala e em casa. Os alunos começam o bimestre com 2,0 pontos para serem somados as outras avaliações. Ao longo do bimestre, eles podem manter ou perder esses pontos; dependerá exclusivamente deles. Tem funcionado; consigo que um número grande de alunos façam as atividades, pois sabem que irão perder no Formativo. Dá um pouco de trabalho, pois tenho uma planilha que , a cada aula, será preenchida, mas me trouxe mais tranquilidade e menos estresse. Estou no aguardo de outras dicas. Abraços!!!

  • Eziquel de Lima

    Otimas dicas. Realmente, discutir com aluno é tempo perdido.
    obrigado!!

  • Raimunda sampaio dos santos

    ADOREI, SEGUIREI ESSAS DICAS……

  • Custódio

    Gostei das dicas eu já vivi estes momentos (alguns) e serviu muito para o meu crescimento profissional.
    não esqueça de uma coisa, Exerça sua autoridade com sabedoria e humildade, só assim conseguirá a confiança dos que o ouvem.

  • Cláudia Alves Mota Souza

    São ótimas as dicas pois dão grandes oportunidades para mudar atitudes e melhorar cada vez a prática. Abraços…..

  • marta de Jesus

    Obrigada pela dica, vou começar colocá-la em prática. Já me deparei muitas vezes com esta situação e isso traz muita frustração, Aprecio todos os artigos enviados por você.

  • Flávio Rocha

    Gostei muito das dicas e a verdade é esta: devemos aprender com nossos erros todos os dias. O equívoco nosso é pensar que a responsabilidade pelo aluno é apenas nosso. O diretor, o vice, o coordenador, os pais são também responsáveis por este aluno que é da escola de modo geral.

  • Cristiane Cruz

    Como é bom rever nossas atitudes. Às vezes cometemos erros que podem se tornar como bola de neve levando-nos a cometermos erros tão infantis e grosseiros. Obrigadão pela dica

Leave a Reply

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *