Pular para a barra de ferramentas

Como lidar com o aluno ” palhaço”

Quase todas as classes tem um palhaço – aquele aluno que sempre faz ou diz algo que chama a atenção para si mesmo. Determinado a ser o centro das atenções, ele persiste com suas piadas ou respostas inteligentes até que finalmente recebe a atenção que deseja. Em situações extremas, o seu comportamento acaba incentivando outros alunos a seguir seu exemplo e se envolverem em brincadeiras .

Embora outras crianças pensem que o palhaço da turma é engraçado – e sua reação a ele muitas vezes reforça o seu comportamento – o professor raramente vê esta situação como uma coisa engraçada. Isso porque as palhaçadas muitas vezes interrompem a aula e interferem com as lições. O palhaço da turma é perito em chamar a atenção dos outros alunos impedindo a concentração nas atividades escolares. No processo, ele muitas vezes não consegue fazer as suas próprias tarefas pois utiliza o tempo para divertir a turma.
Repreensões muitas vezes têm pouco impacto sobre o palhaço da turma. Com efeito, ele pode até desfrutar da atenção, mesmo que seja sob a forma de um comentário negativo. Embora possa ser possível ignorar algumas de suas travessuras menos perturbadoras, o Professor precisará ser mais ágil e estar atento quando observar que os gracejos do palhaço está desviando a atenção dos outros alunos.

O QUE VOCÊ PODE FAZER

Ter uma conversa cara-a-cara com o aluno. Levar o aluno de lado e perguntar por que ele está agindo desta forma. Faça isso de uma maneira calma, emocionalmente neutra – sem raiva ou sarcasmo – para que ele sinta-se confortável falando com você. Deixe os comentários dele orientar a sua resposta, o que pode incluir um simples apelo, da sua parte, para que ele coopere com você, ajudando o aluno a entender que seu comportamento interfere com o andamento da sala de aula e com o aprendizado dos alunos. Deixe-o saber que há um tempo e lugar para palhaçadas e suas aulas não são nem o tempo nem o lugar.

Desenvolver um sinal não-verbal para alertar o aluno quando o seu comportamento cruzar a linha do aceitável. O aluno pode precisar de sua orientação – talvez um sinal não-verbal simples – para desenvolver o autocontrole e aprender quando parar. Fale com ele em particular e decida sobre um sinal que será dado quando você observar que ele vai aprontar. Algumas possibilidades incluem uma pausa enquanto estiver falando, levantar as sobrancelhas, menear a cabeça. Talvez, ainda, seja necessário dizer o nome dele para chamar sua atenção antes de sinalizar a ele, entretanto não pare a aula para a repreendê-lo. A idéia é fornecer um lembrete sem interromper o fluxo de sua lição.

Afaste o público do palhaço – O palhaço da turma, sentir-se-á muito seguro se tiver outros alunos dando-lhe atenção. Você pode reduzir o impacto das palhaçadas se conversar e conscientizar a turma das consequências que essas interrupções estão acarretando para o aprendizado deles. Encontre um momento em que o aluno esteja fora da sala e converse brevemente com a turma, pedindo-lhes a cooperação para não corresponderem às brincadeiras, gracejos e palhaçadas. Se os alunos cooperam, certifique-se de fazer o mesmo e seguir em frente com as lições e atividades do dia.

Fique perto do aluno. Se você já observa que o aluno que faz as palhaçadas está fazendo mençao de levantar-se para fazer algo, procure deslocar-se em sua direção. Não pare sua aula, se estiver explicando algo, continue, porém, dirija-se até o aluno mantendo contato visual com ele por um minuto ou dois. Sua presença, provavelmente, será suficiente para acalmá-lo e dissuadí-lo. Em geral, deslocar-se de forma imprevisível é uma excelente tática para ser utilizada durante as aulas.

Proporcione ao aluno atenção positiva. Se você concluir que o comportamento do aluno que faz as palhaçadas é destinado a obter a sua atenção ou dos colegas, procure oportunidades para prestar atenção quando ele exibe um comportamento positivo ou apresenta bom desempenho em suas tarefas. Assim, você encontra outras maneiras de destacar suas realizações para a turma, focando a atenção para comportamentos positivos, isso pode contribuir para que o aluno fique menos compelido a utilizar de táticas inadequadas para chamar a atenção de forma incorreta.

Identificar os momentos das palhaçadas. Observe as circunstâncias do comportamento dos alunos. Preste atenção ao que acontece antes e depois dos incidentes, quando estes geralmente ocorrem, e onde os alunos estão. Você pode observar que suas travessuras são piores em determinados momentos do dia – durante uma aula em particular, no dia que antecede as provas, ou nos períodos de apresentação de seminários, por exemplo. Reconhecer quando esse aluno está fazendo as palhaçadas pode levar você a entender por que ele está fazendo isso. Ele poderia estar atuando porque acha que as atividades são chatas, tediosas ou ainda difíceis.Ele pode sentir-se confuso sobre o que fazer, ou porque tem dificuldade de se concentrar por um período de tempo. Identificar a razão para esse comportamento poderia sugerir a necessidade de ajustar o nível de desafio das atividades, a duração ou o modo de apresentar as lições.

Palco Dirigido – As palhaçadas só são negativas quando atrapalham a aula e provocam situações de indisciplina e desordem, e isso ocorre quando o aluno palhaço está no controle. Porém há uma outra maneira do Professor assumir esta posição: assumindo o controle de quando ocorrerão os momentos de “ palco” , ou seja, aqueles momentos onde serão permitidos mais livremente, as brincadeiras e colocações humorísticas. Para isso o Professor deve selecionar atividades em que os alunos, e neste caso, todos os alunos, terão o seu momento de exibição e expressão e isso é possível em qualquer disciplina e com qualquer conteúdo.

Considere aplicar as conseqüências. Se o problema persistir, dar ao estudante um aviso e, em seguida, fornecer uma conseqüência. Algumas medidas disciplinares possíveis incluem perder parte do intervalo , perder um privilégio ou desenvolver algum serviço voluntário dentro da Escola, tudo previamente definido com Coordenação/Direção e notifcado aos Pais e Alunos no início do ano.

E você, quais estratégias utiliza para lidar com o palhaço da turma ? Compartilhe no blog.

Gestão da Sala de Aula

planejamento escolar

Roseli Brito: Pedagoga, Psicopedagoga Clínica e Institucional, Neuroeducadora e Coach.

48 Comentários

  • Ricardo

    Obrigado pelo artigo.
    Tenho um 6º ano com 32 alunos. Desses 32 com certeza, 9 além de palhaços registrados são rebeldes, preguiçosos, brigões etc. Se com um palhaço já difícil lidar! O pior é que a turma dá suporte a essa gangue. Sempre que posso tenho tentado conversar com a turma, mas é uma tarefa exaustiva. Como não sou do tipo que desiste fácil, tendo tirar proveito disso. É um laboratório! Hoje em dia não é tarefa fácil lidar com a indisciplina.

  • Marinalva Consoli

    Olá é verdade… as sugestões são ótimas.

  • claudia silva

    Roseli ,como lhe dar com filho que não gosta de estudar?ele tem 15 anos está no 1ºano do ensino medio,mais passa com muito custo pagando recuperação no meio e no fim do ano.Quando estou com calma converso, quando estou nervosa brigo ,esbravejo,coloco de castigo e nada resolve,ja dei exemplo na propria familia de quem busca o conhecimento e de quem não está nem aí para ele,então gostaria que voce me indicasse livros,artigos,estrategias qualquer coisa que pudesse me orientar e ajudar a ter paciência com ele.

  • Beatriz

    Excelentes suas dicas, Roseli!!
    Temos um aluno exatamente com esse perfil, e não sabemos mais o que fazer. A mãe não sabe o que fazer…já dá para entender, certo??
    O menino manda e desmanda na família inteira, é claro que na escola ele quer repetir o mesmo, até porque, infelizmente, a escola morre de medo de perder alunos, de ser processada, etc…
    O duro é ter alunos assim em sala de aula e não haver sérias consequências para seus atos inadequados…

  • lana sobreira

    Eu sempre estou lendo seus textos que por sinal ajudam muito.Na minha sala de aula sempre acontecem palhaçadas praticadas por alunos que se exibem querendo aparecer e já fiz de tudo para que eles se concentrem para a rtealização das atividades e não tenho obtido êxito. Mas agora lendo o texto como Lidar com alunos palhaços, vou com essa nova maneira de lidar com os mesmos.

  • francisco umberto cavalcante

    Sou Orientador Educacional e sinto que enquanto não acabarmos com o rótulo de ALUNO PALHAÇO (expressão até usada, pedagogicamente, com o intuito de corrigir a postura e atitude de um aluno brincalhão) e direcionarmos para o real sentido da palavra, continuaremos multiplicando e incentivando cada vez mais o aparecimento desse tipo de postura em sala. Se bem observarmos no ambiente educativo em que esse “palhaço” segundo o texto, convive, veremos que exite professor palhaço coordenador palhaço, diretor palhaço, funcionários e na própria família que mostra claramente a origem desse aluno brincalhão. E isso pode até ser saudável se bem trabalhado e direcionado seriamente para atitudes que contribuam para o crescimento da turma. Esse tipo de aluno geralmente se sai muito bem na apresentação de seminários se deixarmos claro pra ele a responsabilidade dele em relação aos outros membro do grupo. Por que esse tipo de aluno é escolhido muitas vezes pra líder de sala,
    precisando em vários casos o professor interferir na escolha?

  • romilda

    Realmente temos que usar técnicas diferenciadas para cada aluno e é difícil gracejos exagerados, quando quero mais atenção costumo bater 3 palmas e a partir desse gesto vou diminuindo a voz e a turma vaisilenciando para ouvir-me

  • Ivonete Lopess de almeida

    Supper interessante , esse tema de como lidar com aluno palhaço na sala de para foi ótimo é o que mais tenho e com certeza irá me ajudar bastante. abraços!!!

  • Carmen s-Santos

    Adoro os comentários que recebo. Sempre estou recomendando para meus colegas de escola. Mudei meu comportamento através dos seus artigos e deu certo. Acredito também que não podemos desistir nunca, pois, os alunos precisam muito da nossa compreensão e ajuda.Sinto que os “engraçadinhos” da sala de aula estão sempre nos testando, querendo que tomemos uma atitude, o que as vezes em casa os familiares não conseguem.
    O nosso papel como professores hoje em dia é “tentar”, então vamos lá.

  • Rosangela Petter Agostinho Lebarck

    O melhor caminho para se resolver problemas na escola (pedagógicos, administrativos, disciplinares, financeiros, etc) é o diálogo.
    Muito bom o artigo. Toda pessoa reage bem ao bom diálogo, principalmente o adolescente, público alvo da escola da qual estou gestora.

  • Josilêide Rodrigues de Souza

    O artigo é excelente.
    Tenho certeza que será muito enriquecedor uma vez que alunos desse tipo sempre haverá, infelismente.As vezes chegamos ao extremo e não sabemos lidar com a situação, mas dicas assim serão sempre bem-vindas, pois visam tão somente oferecer novos caminhos para uma boa atuação em sala de aula, dentre outros.

  • Bruna Coimbra

    Sempre leio seus artigos, são muito bons!! Os mesmos tem me ajudado bastante e esse do aluno palhaço me caiu como uma luva, pois já sei como agir. Só fico triste porque tenho que fazer isso numa sala de 2ºano do EM, ou seja, uma sala que já deveria estar mais focada!
    Abraços a todos.

  • Eliana Silva

    Não é fácil, tenho alunos também que se comportam como palhaços, o pior de tudo é que eles não falam gritam….
    Preciso de ajuda, já que ninguém toma uma atitude vou reclamar na direção e elas culpam o professor por não dar conta da disciplina na sala de aula. Se puder me dar um conselho dica, agradeço a sugestão.

  • Elineuza Rosa de Jesus

    Gostei muito desse artigo. Tive alguns alunos com esse problema cheguei a conversar com eles, alguns cooperaram e outros não. Então eu partia para a parte de disciplina. Graça a Deus que a turma comperava e4 achava até mesmo chata as gracinhas que eles faziam. mas é muito difficil lidar com esses alunos, as vezes a gente fica mesmo sem atitude.

  • jacy lucena

    Achei o artigo muito positivo, pois tenho 3 alunos com este perfil na minha sala de aula do 4º ano e já estava um pouco dificil de como reagir com eles. obrigada, pois vocês chegam sempre quando estou passando uma certa situação na sala .

  • Maria de Lourdes

    Maria de Lourdes
    21/05/2012

    ahei o artigo perfeito.
    Nos deparamos muito com aluno palhaço na sala de aula e muitas vezes não sabemos o que fazer.
    com certeza usarei estas orientaçoes na sala de aula e vou repassar para os meu colegas.
    Muito obrigada.

  • Terezinha de Jesus

    Oi Roseli, este artigo é mais um dos meios que o professor vai ultilizar em suas aulas para amenizar esses problemas do aluno palhaço, que são muitos em nossas escolas,ótima sugestão. Obrigada.

  • Maria Eneuma G. Freitas

    Gosto das informações que vocês nos enviam por e-mail. Elas são o reforçamento que necessito para fazer os professores que coordeno, pensarem sob suas posturas em sala de aula. Todos os textos sobre indisciplina foram maravilhosos. Digo a todos que a ferramenta SOSPROFESSOR é muito preciosa no meu dia a dia.

  • juliana lopes

    Estou acompanhando todos os artigos enviados,eles estão sendo muito proveitosos.Estou começando como especialista e tem me ajudado a orientar meus professores.

    obrigada.

  • Rose Suzarte

    Gostei muito do artigo e é de grande valia,pois tenho diversos alunos com esse perfil em diversas aons e turmas.mas já trabalho a mais de15 anos e utilizos de algumas das sugestões e outras como suspensão vigiada com atividades programadas para os mesmos refletirem a respeito do que fizeram e ao retornarem devem expor para o grupo como foi a experiência, fazer os mesmos se colocarem no lugar do professor(a) para dar aula e outros representar eles…

  • Eleticia Campos

    Adorei o artigo…O mesmo dá um norte àquelas horas de desespero pelas quais passamos…rsrsr

  • Marta

    Excelente artigo, pois além de ter alunos assim na escola também tenho um em casa.

  • Jociléia Floriano Santos

    Alunos Palhaços

    Ser palahaço é um dom para alguns até mesmo uma profissão.Em se tratando de um aluno palhaço em sala de aula pode ser um exibicionismo.Gostar de se aparecer chamar a atenção do colega e do professor.Eu vejo o caso como uma anormalidade.Nimguém arranca risos a toa.Neste caso seria preciso conversar com o aluno e dar a ele uma ajuda especializada,pois brincadeira como sinonimo de palhaçada tem hora.

  • Eliana Pitanga de Oliveira

    É muito boa e válida a sugestão pois já a pratico e, aos poucos estou conseguindo anular a interferência dos alunos bagunceiros. É muito árduo,mas com bastante calma e paciência o trabalho flui.Após retirar parte do recreio obtive mais sucesso.Observei também que,a partir do momento que os coloco na primeira cadeira de cada fila eles se acalmam pois ficam de costas para o restante da turma e não têm nenhum colega à sua frente,apenas a professora.

  • Jés Xandin'

    Costumo particularmente conversar com os alunos mais problemáticos alguns minutinhos ao final do horário de aula. E coloco-me à disposição deles para que me procurem quando sentirem que devem, quando quiserem ou quando acharem necessário, seja para um papo “à toa”, seja para servir de ombro amigo. Afinal, muitos não têm amigos que prestam ou familiares que se prezem e os prezem.

    Melhora-lhes o comportamento de forma ideal? Não… mas é uma confiança absurda que conseguimos conquistar desses alunos… Eles deixam de nos ver como simples e chatos professores… e esforçam-se, mesmo que sem sucesso aparente, para melhorarem conosco e com os demais.

    Recomendo!

  • Heleninha

    No decorrer dos anos, cabe a cada professor criar suas defensivas em sala de aula. Estou quase aposentando e já aplico a maioria das sugestões dadas nesta página e realmente dá resultado. Em relação ao aluno que adora dar shou, sempre falo a ele ou eles, que o momento do shou ali é meu, que quem domina o palco no momento sou eu.Normalmente eles ficam sem graça e passam a participar da aula sem mais consequencias. Acho que o professor deve atrair o aluno para si, conquistando sua confiança e amizade, desde o início do ano, demora um pouco, mas no decorrer dos dias, acaba conseguindo.Isto facilita muito o dia a dia na sala de aula e se porventura algum aluno tentar atrapalhar a aula, o professor já pode contar com o apoio de todos os outros alunos e com isto, anular a interferencia do suposto bagunceiro ou palhaço.Temos que trazer nossos alunos para o nosso lado.E em alguns casos, é necessário que a direção da escola tome uma atitude mais séria, que não deixe apenas para o professor. Muitos professores estão deprimidos por se encontrarem sozinhos dentro de uma escola onde muitos ganham para resolver este tipo dde problema. Se der uma suspensão para uns quatro palhaços, os outros melhoram.Já vi isto acontecer inúmeras vezes e vi que as coisas melhoraram tanto para a sala como para o professor.

  • Heleninha

    No decorrer dos anos, cabe a cada professor criar suas defensivas em sala de aula. Estou quase aposentando e já aplico a maioria das sugestões dadas nesta página e realmente dá resultado. Em relação ao aluno que adora dar shou, sempre falo a ele ou eles, que o momento do shou ali é meu, que quem domina o palco no momento sou eu.Normalmente eles ficam sem graça e passam a participar da aula sem mais consequencias. Acho que o professor deve atrair o aluno para si, conquistando sua confiança e amizade, desde o início do ano, demora um pouco, mas no decorrer dos dias, acaba conseguindo.Isto facilita muito o dia a dia na sala de aula e se porventura algum aluno tentar atrapalhar a aula, o professor já pode contar com o apoio de todos os outros alunos e com isto, anular a interferencia do suposto bagunceiro ou palhaço.Temos que trazer nossos alunos para o nosso lado.

  • claudinea

    Nila uma dica nas aulas de Geografia é intercalar os temas com situaçoes atuias como migraçoes externas, utilizar a chegada dos Haitianos ou o retorno de muitos brasileiros para o país. Quanto a filme viagem ao centro da terra, quem quer ser um milionário,Karate Kid, etc. o primeiro pode se trabalhar paisagem e relação homem natureza, o segundo cidades, urbanidade, população, problem dos grandes centros urbanos, desigualdade social e cultura, o terceiro imperialismo americano, trabalho,xenofobia, paisagem, etc. Quanto a dica ele é ótima e funcional.

  • Lúcia

    Realmente está cada vez mais dificil trabalhar em sala de aula. Tenho 23 anos de Magistério já trabalhei desde a Pré Escola até o Ensino Médio…agora estou com um 4º ano do Ensino Fundamental e a turma veio de “encomenda” tenho vários alunos com essa característica de “aluno palhaço”. Já usei de várias estrategias e a que mais funcionou foi conversar com a turma longe destes alunos e pedir para não dar atenção para as “palhaçadas” deles. Acredito que devemos trabalhar diariamente os valores com as nossas crianças. Os textos que recebo tem me ajudado muito. Obrigada

  • nery

    A proposta e a preocupação em abordar tal temática é legitima e louvável. Percebo pelos comentários, e penso isso, que os professores na sua maioria estão sempre buscando superar tais dificuldades e dar o melhor de si para proporcionar aos alunos aprendizagem e bem-estar na sala de aula. Mas tudo isso parece estar sendo infrutífero nos dias de hoje. Lidamos com um “MONSTRO” que se chama indisciplina e desinteresse que, diga-se de passagem, é pouco enfrentado por vários teóricos que focam o professor como alvo, como se fossem milagreiros que pudessem resolver tudo. É uma grande mentira. Esse monstro surge de um desvio social, de uma falta de acompanhamento familiar, de uma estrutura arcaica da escola e de excesso curricular inadequado. Continuemos refletindo e debatendo, não podemos desistir, mas infelizmente no Brasil não há uma vontade política para que a escola dê certo. Somos os guerreiros! E sei que não desistiremos. Grato pelo texto tão oportuno.

  • nery

    A proposta e a preocupação em abordar tal temática é legitima e louvável. Percebo pelos comentários, e penso isso, que os professores na sua maioria estão sempre buscando superar tais dificuldades e dar o melhor de si para proporcionar aos alunos aprendizagem e bem-estar na sala de aula. Mas tudo isso parece estar sendo infrutífero nos dias de hoje. Lidamos com um “MONSTRO” que se chama indisciplina e desinteresse que, diga-se de passagem, é pouco enfrentado por vários teóricos que focam o professor como alvo, como se fossem milagreiros que pussem resolver tudo. É uma grande mentira. Esse monstro surge de um desvio social, de uma falta de acompanhamento familiar, de uma estrutura arcaica da escola e de excesso curricular inadequado. Continuemos refletindo e debatendo, não podemos desistir, mas infelizmente no Brasil não há uma vontade política para que a escola dê certo. Somos os guerreiros! E sei que não desistiremos. Grato pelo texto tão oportuno.

  • Rozzane de Castro Mota

    Desde o ano passado me escrevi nesse site e, claro que tenho recorrido a ele sempre como agora.
    Estou com salas de 6º; 7º e 8º ano e sinceramente os alunos estão completamente perdidos.Usam palavroes o tempo todo, um olhar colega é motivo de retalhação, enfim, nessas salas existem vários alunos com essa característica “PALHAÇO”.
    Tenho usado de todos esses métodos citados no texto, até então não obtive resultado satisfatório.Sou ameaçada, como os colegas tb.
    Ainda ontém escrevi no quadro o Título do texto que iríamos trabalhar, e enquanto andava pela sala um deles apagou o quadro; logo uma aluna gritou, professora, fulano apagou o quadro, ele disse, me aguarda lá fora eu te pego.Preocupada com sua ameça, conversei com ele a sós e fiquei atenta na saída e, não deu outra, ele fez q foi embora, voltou e arremeçou uma pedra na colega que terminou acertando na outra(na testa).Confesso que tem sido mto difícil e me sinto impotente, pois sou dedicada e comprometida.Esse texto veio reforçar as minhas estratégias usadas.Por favor precisamos de vcs!

  • Maria Antônia Gonçalves

    Já tentei as mais diversas estratégias para acabar com este tipo de comportamento, ainda não obtive um bom resultado.Em minhas turmas, há muitos palhaços e talvez fosse possível solucionar esse problema se eles não tivessem público.Já expus todos os argumentos, mas eles continuam desinteressados por mais que eu tente diversificar as atividades.

  • GRAZIELLA BERNARDI ZÓBOLI

    19 de maio – 01:27
    Roseli,
    Gostei do texto. Muito claro e didático.
    Ótimas dicas. Sempre há alunos ou aluno com esse perfil
    mesmo nos cursos de graduação ou pós-graduação.
    Obrigada.
    Um grande abraço.
    Graziella.

  • LiduinaAquino

    Adorei!Porém,na prática,é um pouco mais cumplicado.Mas,nada impede de tentar,ver se dar certo.Tudo é viável,não podemos jogar fora.Abraços…

  • Ivi

    Amei esta materia, tenho alguns alunos assim principalmente na 4 serie, vou buscar aplicar a estrategia.

  • Lindalva Pereira de Carvalho-TO

    Adorei.Este artigo vai me ajudar muita a lidar com certas situações desagradável em sala.

  • Maura de Lordes Penha Faiss

    Adorei a dica, estou me preparando para atuar em sala de aula. Sera de grande valia.
    Obrigada.

  • Gil

    Amei as dicas,
    Sou professora do 5ºano de uma escola municipal em Salvador,e percebi dois palhaços na minha turma a tarde. Não dá realmente para ignorá-los totalmente,a turma fica toda agitada, alguns conseguem gnorá-los, mas sempre aviso que se algum aluno tiver pendência na atividade… ficará no horário do recreio terminando a tarefa . Geralmente é um comentário para todos, mas claro que é especificamente para “Eles”. Na maioria das vezes dá certo, quando eles continuam a palhaçada claro… ficam terminando a tarefa pendente no horário do recreio.

  • nila

    amei,posso imprimir e leva-lo para escola que trabalho. SOU PROFESSORA DE GEOGRAFIA,PRECISO DE DICAS,SOU RECEM FORMADA.qUAIS FILMES PODE SER TRABALHADO?OBRIGADA (O)….

  • Gloria Rangel

    Em minha turma (4° ano) temos vários combinados, e um deles é livre escolha de lugares, porém intercalando meninos e meninas. Sinto que essa ação já desarticula um bocado o meu palhaço da turma. Também acho que o olhar, nas horas da “atuação” funciona, outra coisa fundamental é o planejamento, a articulação entre as atividades e a transparência do mesmo para os alunos. Sinto que quando estou cumprindo o planejamento exposto aos alunos no início da aula, não há muito espaço para as palhaçadas. No extremo, aviso que no terceiro aviso ele irá fazer suas tarefas numa outra turma (o que já é um combinado que já temos em minha escola). Enfim acho que a cada situação aprendemos um pouco mais…

  • Maria das Graças Bosi Mandacaru

    Leio todos os artigo, mesmo com a experiência em sala de aula, são dicas muito interessante que esta ajudando muito no meu trabaho.
    Att, Graça Bosi

  • Rita Prúcoli

    Quando li o título desta aula, senti que estava falando para mim. A cada ano encontramos novos desafios em sala de aula, e este ano o meu grande desafio é lidar justamente com um aluno palhaço, já tentei várias formas de lidar com essa situção, mas ainda não deu certo. Vou tentar essas dicas. Valeu!

  • Vera Lúcia Fabri

    18/05/12
    Adorei o artigo, e vou aproveitar para trabalhar com a turma,em especial com os alunos que é bem palhaço na sala e atrapalhando o rendimento da turma.Tenho lido e aproveitado os textos, porque todos são muito interessantes para trabalhar em sala de aula.

  • Thaís da Ressurreição

    Adorei. Tenho 2 alunos com esse perfil e devo dizer que acaba com a paciência de qualquer cristão.
    Um consegui identificar o problema – ele é disléxico grave- e por isso desvia a atenção dos outros para que eu ou seus colegas não percebam o problema. Com ele o trabalho tem surtido efeito. Ele até procurou ajuda para auxiliar com a dislexia.
    O outro tem deficit de atenção. Além disso é DI, mas tão leve que só percebemos depois que chegou o laudo. Esse problema não o impede de realizar atividades pois quando quer ele faz e muito bem feito, mas ainda tento identificar o problema da palhaçada.

  • Luciana Valentim

    Luciana Valentim
    maio 18th, 2012 at 14:46

    O artigo é proveitoso, porém não sei como utilizá-la já que tenho uma turma de 25 alunos e que 1 terço dessa turma age dessa forma, não se interessam por nada. São alunos que não tem motivação pois perderam de ano muitas vezes e não são acompanhados pelos familiares.

  • Marineide Pereira dos Santos

    tenho lido todos os as apostilhas que me enviam,acho todas muito interessantes.estou me preparando para atuar em sala de aula, essas dica vai me ajudar bastante.

  • Rozana Pereira de Morais

    Muito bom esse artigo sobre a maneira de lidar com os alunos palhaços, pois todo professor tem um desses na sala, e como eles atrapalham o rendimento da turma. Mas o que fazer quando, ao invés de 1 você tem 3 palhaços na turma?
    Eu estou com esse problema e tenho dificuldades de agir, pois eles disputam a atenção dos colegas numa turma de adolescentes. E detalhe estão defasados e no entanto não demonstram menor interesse em aprender.
    Preciso de socorro.

Deixe sua Opinião Aqui

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *