Alunos com Dificuldades ou Problemas de Aprendizagem ?

Alunos com Dificuldades ou Problemas de Aprendizagem ?

Visualize agora a sua turma e responda rápido: você tem alunos com dificuldades ou com problemas de aprendizagem ? ! Se você ficou na dúvida, não se desespere, é compreensível , afinal com tantas nomenclaturas e  definições controversas fica difícil  encontrar o significado coerente para o termo.

Simplificando seria assim: um aluno com desordem neurológica ou psiquiátrica seguramente terá dificuldades para aprender qualquer coisa e consequentemente apresentará também problemas de aprendizagem em tudo o que for proposto. Já um aluno dito “normal” poderá ter problemas com a tabuada, pois não conseguiu elaborar corretamente o conceito da multiplicação, porém, se forem feitas as devidas intervenções pedagógicas esse mesmo aluno conseguirá superar este problema e seguirá adiante no que for ensinado.

Percebeu a diferença ? Um problema de aprendizagem é temporário, já uma dificuldade de aprendizado é duradoura.

Na Escola encontraremos alunos com Deficiência Intelectual (capacidade intelectual inferior à média) , que apresentam dificuldade de aprendizado e alunos com problemas de aprendizado  nos mais variados conteúdos.

O fato é que em uma turma de 40 alunos, existem 40 indivíduos com ritmos, interesses e  fisiologia distintos uns dos outros e portanto, jeitos diferentes de aprender. Esses “jeitos diferentes de aprender” são também conhecidos como Estilos de Aprendizagem que nada mais são que o modo como esse indivíduo se comporta enquanto está aprendendo .

Os estilos de Aprendizagem são:

  • – Cinestésico:  quando se utiliza da expressão corporal e a manipulação  de objetos
  • – Visual: quando é utilizado textos, livros, gráficos, fotos, diagramas, desenhos, provas escritas
  • – Auditivo: quando é utilizado fala, sons e  músicas

Encare do seguinte modo, ao adotar um determinado estilo de aprendizagem estou escolhendo a melhor forma de processar o conhecimento novo que estou recebendo. Assim ao conhecer o estilo de uma pessoa você saberá qual será a forma mais fácil e a mais difícil dela processar qualquer conhecimento.

Na Escola somos cobrados dentro de um único estilo: o Visual, assim todos os alunos que se enquadram neste estilo, seguramente tirarão excelentes notas. Já os alunos “cinestésicos” e “auditivos” terão os tão conhecidos problemas de aprendizagem.

Já estou até vendo você perguntando: “Como então trabalhar na mesma sala com os dois grupos” ? Fazendo, conforme diz Perrenoud,  a “diferenciação pedagógica”. Ou seja, elaborar atividades que contemple os três estilos de aprendizagem. Pegando o exemplo da tabuada, o Professor pode ensinar a multiplicação cantando, criando jogos com a manipulação de objetos,  utilizando exercícios escritos, jogos de computador.

E os alunos com deficiência intelectual? Também serão beneficiados com a diferenciação pedagógica, já que não se sentirão discriminados pois estarão realizando atividades com diferentes graus de desafio.

Como levantar os estilos de aprendizagem dos meus alunos ? Observe no dia a dia na hora da execução das tarefas, quais são os momentos, ou em quais atividades determinados alunos mostram-se mais eficientes em realizar a tarefa dada.

Quando um conteúdo novo é apenas explicado quantos de fato conseguem compreender o que foi ensinado. Ao ajustar esse mesmo conteúdo e apresentar dentro de outro estilo de aprendizagem quantos alunos conseguem compreender ?    Anote esses dados e faça o mapeamento da sua turma, você ficará surpresa com os resultados.

Elaborar aulas levando em conta os estilos de aprendizagem e criar atividades diferenciadas  dá trabalho ?  A minha resposta é: Muito mais trabalho dá, ter de lidar com problemas de aprendizagem, pois tanto  o aluno quanto o  professor ficam frustrados, extenuados e desmotivados, o que acaba gerando uma carga emocional negativa com todo o grupo.

Já com o uso da diferenciação pedagógica, respeitando os diferentes estilos de aprendizagem do grupo, as aulas transcorrem de modo mais vibrante, em constante movimento de trabalho e alegria. Afinal, desta forma,  todos se vêem como capazes e inteligentes.

Lembre-se, ao trabalhar dentro de um único estilo o professor acaba favorecendo o aparecimento dos problemas de aprendizagem.

Aguardo seus comentários no nosso blog.

Para saber mais sobre diferenciação pedagógica:

Perrenoud, Ph.  Pedagogia Diferenciada, Porto Alegre,1999, Artmed Editora.

Perrenoud, Ph. A Pedagogia na Escola das Diferenças, Porto Alegre, 2001 Artmed Editora

Recursos para o Professor:

Gestão da Sala de Aula

Recursos para o Coordenador Pedagógico:

planejamento escolar

Roseli Brito: Pedagoga, Psicopedagoga Clínica e Institucional, Neuroeducadora e Coach.

63 Comentários

  • Débora N.

    Tenho gemeos e ambos estão na 1 série , tenho escutado da professora que eles estão com muita dificuldade, e que tem crianças na mesma sala que já reconheçe figuras e escreve as palavras, e algumas ja leem , afinal qual é o grau de aprendizagem de uma crinça de 1 série

  • celia

    adoro receber esses artigos me ajudam muito enquanto profissional. muito obrigada

  • DENISE GUIMARAES

    O texto foi de fácil compreensão e com certeza contribuiu muito para o trabalho desenvolvido na escola.

  • janeto lucas mendes

    Precisamos deixar alguns modelos de pedagogia importados e estabelecer nosso próprio modelo de acordo com a mossa realidade .assim vamos melhorar a nossa educação

  • Grácia Maria Mendes

    Cara Roseli,

    Tenho arquivados todos os emails enviados pelo SOS professor. No 1º semestre eu estava saturada de trabalho. Somente agora, estou começando a ler e assimilar essas aulas tão significativas…
    Agradeço pela oportunidade de recebê-las. Mesmo tardiamente, seguirei os passos para o meu crescimento. São ótimas dicas para o gerenciamento da sala de aula, tão dificultado nos dias atuais…

  • fernando

    meu filho tem muita dificuldade na escola esta na 4 serie e a lição que ele faz é de 1 serie o que eu Faço? atenciosamente fernando

  • Luzia Diniz C. de Albuquerque

    Inicialmente gostaria de parabenizar a autora pelas excelentes contribuições, sou iniciante na leitura dos artigos desse blog e a primeira impressão é que realmente se percebe um envolvimento com questões cotidianas que os profissionais da educação passam e se angustiam.
    Lendo esse artigo, que apresenta de forma clara, situações em que provavelmente desencadeiam processos de não aprendizagem momentânea nos alunos, concordo com a autora quando diz que na maioria das vezes priorizamos na sala de aula estratégias e formas de atuar que contemplam apenas um grupo de alunos aqui citados os que apresentam estilos de aprendizagem visual. Sabemos das diferentes formas de aprender e, não é novidade, que devemos considerar as várias diferenças apresentadas pelos nossos alunos. Então, me encantou quando a autora coloca que é difícil planejar e executar um trabalho considerando os diferentes estilos de aprendizagem, porém, é mais desesperador ainda lidar com problemas de aprendizagem. É necessário acreditarmos nas capacidades que temos de ensinar nas diferentes situações e que nossos alunos são capazes de aprender, cada qual no seu tempo.
    Atualmente iniciei a leitura do livro aqui citado: Pedagogia na Escola das Diferenças de Perrenoud. Fiquei muito feliz com a sua referencia ao autor, vejo que não estou no caminho errado…
    Aproveito para destacar as excelentes contribuições dos colegas professores e professoras que deixaram seus depoimentos, todos muito significativos. É assim, na troca, na discussão, que apontam-se caminhos, que aprendemos continuamente… Pois, como dizia o grande educador Paulo Freire “somos seres inconclusos, inacabados” e como tais necessitamos dos outros e de estudos constantes…
    Abraços,
    Profª. Luzia Diniz Carneiro de Albuquerque, FLORES/ PE.

  • Sandra Mara

    Roseli,
    Leio todos os seus artigos de ajuda aos professores.
    Já utilizei vários .Preciso da sua ajuda pois estou participando de um processo eleitoral e me candidatei a vice-diretora. Agora que terei de conhecer todos os alunos da escola.
    Muito obrigada.

  • Marcia Antonia Soares

    Roseli,
    Sempre utilizeri de seu trabalho enquanto Supervisora Pedagógica, no trato com os professores, alunos e pais. Sei que muitos dos professores aos quais indicamos o site não o utiliza por diversos motivos. Por isso sempre tomei o cuidado de levar até estes seu conselhos e deu certo com alguns e outros não. Hoje me encontro na posição inversa, sou professora de uma turma um tanto quanto difícil, sou a terceira professora este ano e vejo que trabalhando com seu aconselhamento tenho percebido algumas transformações importantes. quero deixar um recado a todos: Grandes transformações necessitam tempo, portanto não desistam nos primeiros tropeços, continue estudando e seguindo as instruções. Precisamos ajudar estas crianças e adolescentes se quisermos um futuro melhor e mais digno para elas e para nos mesmos, pois elas farão diferença amanhã.

  • rosangela m. guimaraes

    É verdade, em geral trabalhamos o grupo esquecendo que cada individuo é único, percebemos a diferença quando as dúvidas surgem aí vemos que muitas vezes essas dúvidas são totalmente ¨diferente¨.Me sinto muito grata por esta publicação, era o que eu estava precisando para trabalhar melhor com meus alunos.

Deixe seu comentário aqui

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *