Planejamento Escolar: Plano de Ensino

O Plano de Ensino consiste na organização do processo de trabalho a ser desenvolvido Plano de Ensinono ano letivo em curso, em cada turma e em cada disciplina específica. Deve considerar os pressupostos estabelecidos no PPP , os Parâmetros Curriculares Nacional (PCN) e Temas Transversais.

Sua elaboração é da competência do professor responsável pela disciplina ou pela turma, e deve ocorrer assim que o docente conhecer quais são as suas turmas.

Dimensão Legal: De acordo com o Artigo 13, LDB, o plano de ensino deve ser feito pelo docente.

Art. 13. Os docentes incumbir-se-ão de:

I – participar da elaboração da proposta pedagógica do estabelecimento de ensino;

II – elaborar e cumprir plano de trabalho, segundo a proposta pedagógica do estabelecimento de ensino;

III – zelar pela aprendizagem dos alunos;

IV – estabelecer estratégias de recuperação para os alunos de menor rendimento;

V – ministrar os dias letivos e horas-aula estabelecidos, além de participar integralmente dos períodos dedicados ao planejamento, à avaliação e ao desenvolvimento profissional. (Grifo Nosso)

Requer que o Professor tenha conhecimento prévio do Projeto Político Pedagógico, pois será o Plano de Ensino que viabilizará o desenvolvimento do PPP.

O Plano de Ensino é o documento que organiza  o ensino-aprendizagem em sala de aula por registrar o que se pensa fazer (de acordo com o PPP), como fazer, quando fazer, com o quê fazer e com quem fazer.

O Plano de Ensino é o registro escrito, sistematizado e justificado das decisões tomadas pelo docente. Auxilia na organização do tempo e materiais utilizados, permite uma avaliação do processo de ensino e aprendizagem, bem como possibilita compreender a concepção de ensino e aprendizagem e de avaliação do docente; e ainda pressupõe a reflexão da prática educativa.

No processo de elaboração do Plano de Ensino, é imprescindível que cada professor considere as características de cada turma, os conteúdos específicos, o nível de rendimento esperado dos alunos, as diretrizes e orientações curriculares emitidas pela Secretaria de Estado de Educação e, claro, o Projeto Pedagógico da Escola.

Para o conhecimento das características dos alunos, o professor pode consultar os relatórios de sua vida escolar, preenchidos pelos professores do ano anterior, e complementar esses dados com uma avaliação diagnóstica que ele desenvolverá logo no início do ano letivo.

Cada disciplina possui sua especificidade. Cada conteúdo, em função da sua natureza, exige tempo, estratégias e formas de abordagens diferentes. O respeito a essas características implica que seja dado a cada conteúdo o tratamento adequado às suas peculiaridades, como a duração e o ritmo dos fenômenos a serem estudados.

O Plano de Ensino deverá romper com a tradicional linearidade, reforçando-se a transdisciplinaridade e poderá ser elaborado coletivamente pelos Professores de cada ano de escolaridade ou de cada disciplina, com o apoio e orientação dos Especialistas.

Mas como atingir esse objetivo? O que vemos são Planos de Ensino que mais parecem caminhar em direções opostas, dificultando o trabalho de acompanhamento por parte do Coordenador que sofre um enorme desgaste ao tentar “ decifrar” cada Plano que recebe .

Os principais motivos que contribuem para isso é porque os Planos de Ensino são:

desorganizados: as informações contidas nos Planos de Ensino geralmente são desorganizadas pois estão todas misturadas em um discurso onde falta clareza ;

confusos: os Planos não contemplam tudo e não oferecem uma visão clara do que o professor realizará ao longo do ano e quais objetivos ele pretende alcançar com cada turma;

desarticulados: Os Planos não estão articulados com o Planejamento Escolar e por esta razão caminham em direções opostas;

individualistas: os Planos não “ conversam” entre si, não apresentam pontos de contato que possibilitem a prática da interdisciplinaridade e o desenvolvimento de Projetos conjuntos, pois cada tema/conteúdo é ensinado de forma desconexa .

Para que as metas de aprendizagem sejam atingidas ao longo do ano é necessário que os Planos de Ensino caminhem na mesma direção e para isso será necessário que você enquanto Gestor/Coordenador dê o “ tom”, forneça a direção de como eles serão elaborados.

O Plano de Ensino apropriado deverá conter pelo menos os seguintes elementos:

– definição das Expectativas de Aprendizagem para cada segmento

– definição do Sistema de Avaliação dos Alunos

– detalhamento do Trabalho de Inclusão

– definição de  um modelo de Recuperação Paralela, Contínua e Final

Por esta razão faz-se necessário que a Escola tenha um Modelo de Plano de  Ensino que contemple não apenas os elementos acima, mas também possa articular-se com os demais Planos de Ensino para o desenvolvimento de um trabalho multidisciplinar.

Neste quesito o Gestor/Coordenador tem papel primordial, já que compete a ele ter uma visão sistêmica do trabalho pedagógico a ser desenvolvido por toda a Equipe de Professores.

No intuito de facilitar o período de Planejamento Escolar para o Coordenador, tanto nas Escolas Públicas quanto Particulares, é que o SOS Professor desenvolveu a Série entitulada Guias de Planejamento Escolar cujo objetivo é orientar cada Escola na elaboração, construção e execução do Planejamento Escolar em cada etapa do processo.

CONHEÇA OS GUIAS DE PLANEJAMENTO AQUI

Para que você se situe a organização dos Guias ficou conforme abaixo:

– Guia Prático do Coordenador – Pré Planejamento

– Guia Prático do Coordenador – Plano de Ensino

– Guia Prático do Coordenador – Semana Pedagógica

– Guia Prático do Coordenador – Implementação do Planejamento Escolar

E o seu  Plano de Ensino  o que está faltando ?  Comente e compartilhe suas ideias.

=====================================================

VIDEOS COM DICAS DE PLANEJAMENTO ESCOLAR:

VIDEO 1  PLANEJAMENTO ESCOLAR: COMO FAZER ?

VIDEO 2  – ETAPAS DO PLANEJAMENTO ESCOLAR

VIDEO 3 – DÚVIDAS DE PLANEJAMENTO ESCOLAR

====================================================

Confira Também:
Espalhe por ai!
Gostou? Então comenta!