MEMORIZAÇÃO COMO TÉCNICA DE APRENDIZAGEM

Você utiliza a  memorização como técnica de aprendizagem? Acha que é algo ultrapassado? Mas com certeza já deve ter ouvido, talvez ontem, os seus alunos perguntarem:  “ Professora, onde vou usar isso?”, “ Porque preciso aprender isso?”.

O que vou te ensinar hoje, com certeza, vai mudar o  conceito que você tem de memorização, e vai fazer com que você  queira  fazer uso desta técnica de aprendizagem  em todas as suas aulas.

O ser humano precisa ver a utilidade, ou a funcionalidade das coisas que aprende, afinal temos a necessidade de saber a utilidade das coisas. E isto se aplica principalmente na Escola. O aluno precisa ver o contexto geral e sua aplicabilidade, caso contrário não verá valor naquilo que aprende.

O problema é que, geralmente na escola, quase nunca é mostrado o contexto geral, ou o por quê de determinado conhecimento, no quê ele nos ajuda a compreender ou resolver algo.

Esta descontextualização do que é aprendido leva os alunos a descartarem aquilo que, ao ver deles, não serve para nada. Em época de provas isso fica muito evidente, pois vemos um corre-corre para o estudo de última hora,  denotando assim como o aluno vê o que aprende como tendo uma única utilidade: serve apenas para fazer prova e passar de ano.

A contextualização do que se ensina é primordial, afinal cabe ao Professor enxergar o todo de vários ângulos para então conduzir o aluno a enxergá-lo também. Para isso lançará mão de várias técnicas, estratégias e recursos.

Porém, muitas vezes ouço a seguinte fala por parte dos Professores:  “ o aluno só  memoriza o  que lhe interessa pelo tempo que lhe interessa”. Será que isso é 100% verdade?

A resposta para esta questão pode ser SIM e NÃO!

– NÃO: porque, não basta  apenas gostar de algo e achar que por osmose, ou num passe de mágica será incorporado ao nosso acervo de habilidades e conhecimentos.

– SIM: Quando algo nos interessa e nos esforçamos em memorizar o novo aprendizado, este é consolidado na  nossa memória de longo prazo, e é aí que está o segredo : no esforço que fazemos para ajudar o cérebro a consolidar esse novo aprendizado.

Neste artigo ater-me-ei a mostrar-lhe a memorização como técnica de aprendizagem , e como ela pode alavancar o aprendizado dos seus alunos.

Para compreender como usar com eficiência a memorização como técnica de  aprendizagem é necessário entender como o tempo influi sobre a nossa memória, pois o cérebro humano esquece 50% do que aprende num prazo de 24 horas. Ou seja, tudo o que você aprender hoje, seu cérebro só vai reter a metade no dia seguinte.

A CURVA DO ESQUECIMENTO:

Apresento  abaixo a Curva do Esquecimento, estudada no século XIX pelo filósofo alemão Hermann Ebbinghaus, onde ele mostra a capacidade do cérebro de armazenar uma informação. Como você constatará a memorização como técnica de aprendizagem mostra-se um recurso valioso para consolidar o aprendizado.

– Ponto A: o momento que estudamos determinado tema, o cérebro retém 100% das informações. O problema é que com o passar das horas e dias todo o conteúdo vai gradativamente caindo no esquecimento.

Após o primeiro dia, esquecemos 50%, passados dois dias 70% e no sexto dia, nos lembraremos em torno de 5% do que foi estudado. É por isso que quando chega na véspera da prova nossos alunos estão todos apreensivos porque dizem não lembrar de praticamente nada e tem de estudar tudo de novo.

Como não deixar tudo o que foi ensinado no bimestre inteiro cair no mar do esquecimento?

A memorização como técnica da aprendizagem requer algumas ações por parte do Professor, ações estas que devem ser constantes e deliberadas, planejadas e  consideradas no momento do planejamento das aulas.

A primeira dessas ações é: revisar sistematicamente o conteúdo trabalhado. Não adianta ensinar algo hoje, e amanhã, já passar para o próximo conteúdo, como se a única tarefa fosse terminar o livro didático. Nada disso! A matéria dada DEVE ser estudada nas próximas 24 horas, pois a revisão sistemática dos conteúdos auxilia na consolidação da aprendizagem.

– Ponto C do gráfico:

Quando os pais reclamarem que você está enviando lições de casa, dando muitas tarefas em sala de aula, pedindo revisões, correção coletiva em sala de aula, resumos, questionários, e trabalhos, anotações, fichamentos, etc,  justifique informando a eles que é necessário para que o novo aprendizado seja consolidado na memória de longo prazo.

No ponto C fica claro que essas revisões de conteúdo devem acontecer no dia seguinte já que metade do que foi aprendizado já caiu no esquecimento.

Sei que você pode estar pensando: “ estamos na era da tecnologia e ainda temos que trabalhar com repetições, memorização? Isso é muito antigo ”. Eu digo a você, nosso cérebro funciona assim, então posso trabalhar considerando esse fato e usá-lo a meu favor, ou posso desconsiderá-lo e tornar o aprendizado um suplício para meus alunos.

– Pontos D e E do gráfico:

Quanto mais o conteúdo ensinado é revisto, mais familiar ele vai se tornando na nossa mente passando a ser incorporado no nosso acervo de conhecimentos permanentes. Usar a memorização como técnica de aprendizagem vai facilitar o seu trabalho na sala de aula.

A tarefa de estudar é intransferível, o nosso aluno é responsável pela sua jornada  e isso implica em esforço, dedicação e perseverança, repetição e estudo diário. O professor atuará apenas como mediador do processo, guiando o aluno para que extraia  o melhor desta jornada.

MEMORIZAÇÃO COMO TÉCNICA DE APRENDIZAGEM:

Aqui vão algumas dicas práticas para você e para os seus alunos usar a memorização como técnica de aprendizagem:

  • Ensine os alunos a anotarem os pontos principais da aula
  • No dia seguinte rever tudo o que foi trabalhado na sala (anotações, exercícios, etc)
  • Elabore resumos dos conteúdos isso ajuda a fixá-los e a ver novos ângulos do assunto, aprofundando assim o entendimento
  • Dedique-se nas correções coletivas dos exercícios em sala de aula
  • Inicie uma rotina de estudos e permaneça nela todos os dias e não apenas na semana de provas
  • Desenvolva o hábito de realizar esquemas, mapas mentais, fichamentos, resumos e/ou quaisquer outras estratégias que assegurem e facilitem o estudo dos conteúdos (se os seus alunos ainda não sabem utilizar essas ferramentas ensine-os)

Como você pôde constatar, esquecer é um  fato real do nosso cérebro . Nosso cérebro esquecerá  tudo o que aprendermos se não cuidarmos de consolidar o que foi aprendido de maneira sistemática. O Gráfico da Curva de Esquecimento mostra isso.

Por outro lado, veja abaixo o que ocorre com as Revisões sistemáticas de conteúdo na linha VERDE: a retenção chega a quase 100%. Tudo isso porque o Professor auxiliou o aluno, de forma deliberada, a memorizar o novo conhecimento.

O tempo do Professor é corrido e no planejamento semanal das aulas a sobrecarga de conteúdos a serem trabalhados pode inviabilizar, em um primeiro momento, a execução desta proposta de trabalho contemplando revisões mais sistemáticas como forma de memorizar os conteúdos trabalhados.

Minha dica para você é: organize-se! Lembre-se que é você quem prepara as aulas, as tarefas e define o que é importante do que não é. Então contemple levar em conta que, se você não criar as ações para que os alunos consolidem o aprendizado, será em vão você propor conteúdos a serem estudados se você já sabe que os mesmos se perderão.

O foco é, não apenas DAR conteúdo e ver o mesmo perder-se no dia seguinte, mas torná-lo permanente para o aluno. Usar a memorização como técnica de aprendizagem vai ajudar os seus alunos a se apropriarem verdadeiramente do conhecimento ensinado.

===========================================================

PORTAL DO PROFESSOR – RECURSOS PARA A SALA DE AULA

===========================================================

Confira Também:
Espalhe por ai!
Gostou? Então comenta!